CineBH dá início à Mostra Retrospectiva Pierre Léon com exibição de três filmes e bate-papo com o cineasta

Sessões com filmes da temática Cinema de Urgência e de curtas-metragens são outros destaques da 11a CineBH, além da exibição do clássico de ficção científica “Eles Vivem”, de John Carpenter, na Praça da Estação

A abertura da 11a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, na noite de terça-feira (22), foi marcada pela integração entre o audiovisual, os movimentos sociais da capital mineira e as principais questões do contemporâneo. Com apresentação de Lira Ribas, o evento aconteceu no Cine Theatro Brasil Vallourec, com a presença de quase 1.000 pessoas, entre cineastas, espectadores, produtores, jornalistas e críticos.

A noite se dividiu em três blocos. A primeira parte contou as performances de Douglas Din e do Duo Paralelo (Marise Dinis e Ailton Gobira). Em seguida, aconteceu a homenagem ao cineasta e ator francês Pierre Léon, que recebeu o Troféu Horizonte pelo conjunto de sua obra. Irreverente, León se divertiu com a celebração, agradeceu e convidou a todos para acompanhares seus filmes e ainda brincou com o conhecido “uai”, característico do sotaque mineiro. Por fim, houve a pré-estreia nacional de “Corpo Elétrico”, primeiro longa-metragem de Marcelo Caetano, que arrancou risadas, palmas e gritos da plateia ao longo de toda a projeção.

MASTERCLASS

A programação começa intensa nesta quarta-feira, 23 de agosto. Às 14h, acontece o Encontro com Pierre Léon, no Sesi Museu de Artes e Ofícios, onde o realizador fará uma masterclass, na qual falará sobre sua obra, a experiência como crítico de cinema e outros aspectos do cinema. A mediação será do curador Francis Vogner dos Reis.

SESSÕES DE CINEMA

As sessões da CineBH têm início às 15h, com a exibição de “Videogramas de uma Revolução”, às 15h, no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes. O documentário de 1992, com direção de Harun Farocki e Andrei Ujica, faz parte da temática Cinema de Urgência e trata da revolução popular que derrubou o presidente da Romênia em 1989.

A Retrospectiva Pierre Léon, com três estreias nacionais, começa às 17h, com Tio Vânia, de 1997. A adaptação da peça teatral de Anton Chekhov, com Jean-Claude Biette no elenco, foi restaurada pelo diretor em 2015. Às 19h30 haverá a exibição de Duas Damas Sérias, de 1988. A exibição acontece no MIS Cine Santa Tereza. Fechando a retrospectiva nesta quarta entra em cartaz Biette, documentário de 2010 que traça o retrato de Jean-Claude Biette, realizador de Teatro das Matérias e Saltimbanco, crítico no Cahiers du Cinéma, fundador da revista Trafic e ator. A sessão acontece às 21h, no Cine Humberto Mauro.

A noite de exibições se completa com várias sessões de curtas-metragens: às 19h, no Cine 104, cinco filmes na mostra A Cidade em Movimento – José Baleia, A tarada do metrô, Ópio, Preterir, Nós mulheres r(e)xistimos -, seguidos de roda de conversa com a temática O Corpo, a Mulher, A Cidade, mediada por Paula Kimo. E às 21h, no Cine 104, a mostra Brasileiros no Exterior, com cinco curtas-metragens.

No mesmo horário, no Cine Humberto Mauro, outra sessão dupla imperdível: o curta “Na Missão, com Kadu”, de Aiano Bemfica, Kadu Freitas e Pedro Maia, seguido do longa em processo “Operações de Garantia da Lei e da Ordem”, de Julia Murat.

CLÁSSICOS NA PRAÇA

Na Praça da Estação, às 19h, o clássico de ficção científica “Eles Vivem” (1988), de John Carpenter, divide a sessão com “Estado Itinerante”, um dos curtas-metragens mineiros mais celebrados dos últimos anos.

8º BRASIL CINEMUNDI

Simultaneamente acontece a 8a edição do Brasil CineMundi, maior encontro de coprodução internacional no país. Entre as atividades abertas à participação do público está o debate “Experiências em Coprodução Internacional na América”, com a presença de Augusto Matte (produtora, Chile), Jorge Andrés Botero (diretor de criação e conteúdo, Colômbia) e Rachel Daisy Ellis (produtora, Brasil). Os convidados internacionais também participam de uma intensa rodada de negócios e meetings com diretores e produtores dos projetos selecionados para esta edição, sempre no Museu de Artes e Ofícios.

PROGRAMAÇÃO SEGUE NESTA QUINTA-FEIRA

Além do início das sessões Cine-Escola, que favorece o acesso de milhares de estudantes a sessões gratuitas de cinema, o evento promove one-on-one meetings, agendas de relacionamento, diálogos e encontros audiovisuais sobre a experiência audiovisual em outros países, como os paineis National Film Board of Canada, TorinoFilmLab e Pontes entre Brasil e Chile: oportunidades de coprodução e experiências com outros países latino-americanos e o debate “O mercado do documentário: visões contemporâneas” – estes últimos em parceria com a MAX – Minas Gerais Audiovisual Expo, na Serraria Souza Pinto.

Os destaques entre os filmes desta quinta são a sessão comentada de O pecado de Cluny Brown, a estreia nacional de Nissim Dit Max, de Pierre Léon; as pré-estreias nacionais de Uma noiva de Shangai, Histórias que nosso cinema (não) contava e As duas Irenes. Na Mostra Clássicos na Praça, entra em cartaz Janela Indiscreta, de Alfred Hitchcock.

* TODA PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO

 Foto: Beto Staino/Universo Produção