ESTÉTICA DA CONTRAVIGILÂNCIA

30/09, quinta, 12h

Na era do capitalismo de vigilância, marcada por um novo regime de imagens, um dos maiores desafios que se impõem é dar visibilidade aos mecanismos de invisibilização do poder. Como usar os dispositivos de vigilância (câmeras de segurança, imagens de satélite, imagens de drones) e o material por ele produzido para, justamente, produzir filmes que denunciem a sua violência? Como pensar uma estética da contra-vigilância?

Convidados

  • Natália Reis – cineasta e pesquisadora | MG
  • Ernesto de Carvalho – cineasta e pesquisador | PE
  • Miguel Antunes Ramos – cineasta e pesquisador | SP

 

Mediador: Marcelo Miranda – curador Mostra CineBH |MG