O coletivo Filme de Rua se organizou em 2015 para produção do curta-metragem Filme de Rua (2017). Na época, houve um processo de criação coletiva com a participação de profissionais e militantes das artes plásticas, cinema, psicanálise, comunicação e história e 15 adolescentes e jovens, negros e negras, cis e trans, em situação de rua, no município de Belo Horizonte. Pelas ruas do Centro da cidade, eles compartilharam e vivenciaram de forma fluida, assim como a própria condição de rua por vezes estabelece, suas histórias e desejos por meio do cinema.

Para ampliar suas ações e fortalecer vínculos com a cidade e as políticas públicas o coletivo inaugurou, em março de 2019, o Espaço Cultural Filme de Rua, que abriga as ações da Associação Filme de Rua, entidade sem fins lucrativos, fundada em 2018, que fomenta atividades de formação e realização audiovisual voltadas para pessoas com trajetória de vivência nas ruas de Belo Horizonte.

Nesse espaço, a Associação também mantém uma sala de cinema que promove sessões públicas de filmes, mostras e seminários. Desde sua inauguração, até o fechamento em função da pandemia, o espaço programou 75 sessões, realizou dois seminários, um evento de lançamento de livro e fomentou a produção de três filmes (dois longas-metragens em fase de finalização e um curta-metragem, Memórias de Mim, lançado em 2019). Para reabrir o espaço e retomar as atividades, o Filme de Rua lança a campanha A Rua Vive, para arrecadação de recursos e parcerias no processo de reabertura e manutenção do espaço.

Participe da campanha A Rua Vive! Faça sua doação:

Banco: Itaú

Agência: 1430

Conta Corrente: 25035-5

PIX: 31.972.547/0001-82 (CNPJ)

Contato: deruafilme @gmail.com

Filme de Rua participou da Performance de Abertura da 15 CineBH. Na foto, Biel.