31/10 | sábado | 19h

Os filmes dessa sessão se conectam pela presença de corpos que renunciam aos padrões hetero e cisnormativos, convidando à uma conversa sobre diversidade sexual, liberdade  e amor. Encontros, olhares e ritos de passagem traduzem gestos políticos de uma comunidade que se coloca e se impõe na dinâmica social e também nas telas do cinema.

Integrantes da roda de conversa:

Maick Hannder (diretor), LOOPING | Mariana Borges (diretora), BABI E ELVIS | Vinicius Sassine (diretor), EXU MATOU UM PÁSSARO

 Participação especial: Juhlia Santos – jornalista, performer e produtora

Graduada em comunicação pela  faculdade Estácio de Sá Belo Horizonte, atua a mais de 10 anos na performance onde sempre trás seus questionamentos e posicionamentos sociais, passa a circular pelo teatro quando em 2017 e integra o elenco do espetáculo  madame Satã do grupo de teatro ‘grupo dos dez’, logo passa a compor elenco de outros diversos espetáculos   Com trajetória na militância  lgbt dento do recorte trans hoje se coloca como militante autônoma e logo como artivista por ver na arte a melhor forma de aproximação dxs outres as nossas questões. Precursora da plataforma artística pretas T, onde desenvolve trabalhos artísticos pautados no gênero atrelado a raça. Conselheira no quilombo manzo no qual é pertencente desde a adolescência onde afirma ser um grande espaço que contribui para sua formação pessoal.  Hoje está acessora parlamentar na mandará coletiva da deputada Andréa de jesus. Quando se afirma puta por convicção e na intenção de dismistificar todo esse imaginário marginal que sua corpa se insere.

Mediador: David Maurity – ator, apresentador e dramaturgo