CINEBH: 15 ANOS DE SUCESSO E RECONHECIMENTO NAS PALAVRAS DE REALIZADORES(AS)

Neste ano de 2021, a CineBH celebra 15 anos de trajetória. O evento nasceu no bairro de Santa Tereza, um dos mais tradicionais redutos culturais da capital mineira, e foi responsável pela reabertura do Cine Santa Tereza, cinema de bairro fundado em 1944 e desativado desde 1980. Com edições anuais e consecutivas desde 2007, a CineBH reafirma seu propósito de mostrar o cinema para o mundo e coleciona sucessos. O reconhecimento vem de todas as partes, mas, principalmente, de realizadores(as) que já somam histórias com a Mostra ou até mesmo daqueles que fazem sua estreia no evento.

É o caso do cineasta Matheus Moura, que já participou de várias edições da CineBH, tanto como espectador quanto como aluno em oficinas. Nesta 15a edição do evento, ele estreia como diretor e roteirista e apresenta sua primeira ficção “Ditadura Roxa”, curta selecionado para a Mostra Cidade em Movimento. “É muito gratificante ter uma produção na CineBH, evento que sempre foi uma das minhas maiores referências. Foi nela que enxerguei Belo Horizonte em um filme pela primeira vez e desde então sinto um friozinho na barriga sempre que reconheço alguma paisagem da nossa cidade”, orgulha-se Moura. A expectativa do novo diretor é que as pessoas que participaram do processo de filmagem se sintam realizadas com seu trabalho e que o filme possa ajudar a passar a mensagem de requalificação do bairro Lagoinha, também por meio do cinema e da arte.

Trajetória semelhante têm os realizadores Guilherme Jardim e Vinícius Fockiss, que assinam a direção e roteiro de “Dois”, curta-metragem de estreia da dupla, que também integra a seleção da mostra A Cidade em Movimento. Ambos sempre acompanharam e participaram da Mostra. A história de Guilherme vem de 2016, quando mudou para a capital mineira, e a partir daí começou fazer oficinas. Já Vinícius, sempre presente como espectador. “Acredito que os festivais de cinema são ferramentas essenciais para propagação de narrativas diversas e conhecimento. No meu caso, antes de começar a cursar Cinema e Audiovisual, a CineBH foi um dos meus primeiros contatos com festivais e a produção de cinema em Belo Horizonte. Vindo do interior de Minas, de uma cidade que fazer cinema não é uma possibilidade, acompanhar a mostra me mostrou caminhos possíveis de trilhar. E hoje, estou exibindo minha primeira direção cinematográfica na Mostra”, comemora o diretor Guilherme Jardim.

Colecionando memórias

As boas lembranças relacionadas à CineBH estão ainda mais que presentes na vida de Kelly Crifer, que assina a direção do experimental “Escorre”, junto com Thiago Monteiro. Em 2010, participou da Mostra como atriz da produção “Contagem”, da Filmes de Plástico. Em 2012, fez uma oficina de atuação para o cinema com o preparador de elenco Sérgio Penna, que considera disparadora de muitas coisas importantes em sua carreira. Já em 2019, esteve mais uma vez na CineBH, para acompanhar a homenagem feita a produtora Filmes de Plástico. Agora, em 2021, retorna ao evento para apresentar sua primeira direção na sétima arte, também na mostra A Cidade em Movimento.

“A Cine BH é um canal aberto, uma oportunidade para estudantes e profissionais do audiovisual exibirem suas obras, experimentarem, pensarem e, sobretudo, levar ao público suas invenções e causar aderências e inquietações na vida das pessoas. Promove trocas, fruição e reflexão, encontros. Tudo isso é formação, potência de vida, transformação, a vida em movimento”, sublinha Crifer.

03-11-2007 Belo Horizonte/Minas Gerais/Brasil Mostra CineBH 2007 Cine-Praca Foto: Leonardo Lara

Primeira vez na CineBH

A versão online da CineBH está possibilitando que cineastas de outros estados possam participar do evento pela primeira vez. Como é o caso do diretor Antônio Fargoni, do longa-metragem “Nós passarinhos” e Victor Hugo Fiuza, do curta “Medo da chuva em noite de frio”, selecionados para a Mostra Contemporânea.

Fargoni, que faz no evento a pré-estreia nacional de seu primeiro longa-metragem, soma à expectativa o sentimento de muita alegria. “É essencial que tenhamos essas janelas de oportunidades como é a CineBH. O audiovisual é algo caro de estudar/realizar/assistir, e eventos assim são importantes para o acesso e a difusão do cinema”, declara.

O diretor Victor Fiúza, compartilha essa alegria. Para ele, o sentimento que fica é de gratidão. “Acredito que a Mostra CineBH será um dos principais espaços de exibição do nosso filme, o que é um reconhecimento encorajador ao nosso trabalho. Essa passagem pelo evento fortalece a continuidade da carreira do filme e dos nossos próximos projetos. Nesse contexto pandêmico e da distância enorme criada entre nós e as salas de cinema, festivais como a CineBH também são uma espécie de trincheira, de resistência a uma forma de se relacionar com o cinema e a produção audiovisual, que só pode existir em locais assim”.

SOBRE A MOSTRA CINEBH

Com edições anuais e consecutivas, a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, o evento de cinema da capital mineira, chega a sua 15a edição de 28 de setembro a 03 de outubro de 2021, em formato online e gratuita, reafirmando seu propósito de mostrar o cinema para o mundo, promover o diálogo entre as culturas, aproximar povos e continentes, fazer a conexão do cinema brasileiro com o mercado audiovisual, realizar encontros de negócios, investir na formação, intercâmbio e cooperação internacional, construir pontes nas escolas, comunidades, redes sociais e com a cidade de Belo Horizonte e Minas Gerais.

A 15a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte e o 12o Brasil CineMundi integram o Cinema sem Fronteiras 2021 – programa internacional de audiovisual idealizado pela Universo Produção e que reúne também a Mostra de Cinema de Tiradentes (centrada na produção contemporânea, em janeiro) e a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto (que difunde o audiovisual como patrimônio e ferramenta de educação, em junho).

SERVIÇO

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

ESTE EVENTO É REALIZADO COM RECURSOS DA LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA DE BELO HORIZONTE

PATROCÍNIO: MATER DEI, COPASA, CEMIG | GOVERNO DE MINAS GERAIS

PATROCÍNIO MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO: patrocinada com recursos do Fundo Internacional de Ajuda para Organizações de Cultura e Educação 2021 do Ministério das Relações Exteriores da República Federal da Alemanha, do Goethe-Institut e de outros parceiros: www.goethe.de/hilfsfonds

PARCERIA CULTURAL: SESC EM MINAS, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, CASA DA MOSTRA

PARCEIROS BRASIL CINEMUNDI: EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL, DOT, MISTIKA, PARATI FILMS, CTAV, FORTE FILMES, NAYMOVIE

COOPERAÇÃO BRASIL CINEMUNDI: WORLD CINEMA FUND(Alemanha), NUEVAS MIRADAS – EICTV(Cuba), BIOBIOCINE(Chile), CONECTA – CHILE DOC(Chile),  MAFF(Espanha), DOCSP(Brasil), DOCMONTEVIDEO (Uruguai), VENTANA SUR(Argentina), INSTITUTO OLGA RABINOVICH / PROJETO PARADISO(Brasil)

APOIO: CAFÉ 3 CORAÇÕES.

REALIZAÇÃO: UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA | MINISTÉRIO DO TURISMO| GOVERNO FEDERAL