IMAGENS DA GUERRA SÃO ENCENAÇÃO DA VIOLÊNCIA, DIZ A CINEASTA ÉLÉONORE WEBER SOBRE O FILME “NÃO HAVERÁ MAIS NOITE”

Reunindo imagens de vídeo gravadas pelas Forças Armadas ocidentais em incursões por países do Oriente Médio (Afeganistão, Iraque e Síria), o documentário “Não Haverá mais Noite” é uma das atrações na programação da 15ª CineBH. Em bate-papo com o curador Pedro Butcher na manhã de sábado (2/10), a diretora Éléonore Weber comentou o quanto, para ela, ainda é um desafio definir o real estatuto dos registros que ela utilizou no filme. “A fantasia de que é possível enxergar tudo por causa das câmeras pode dar a impressão de que podemos compreender o teor real das imagens, mas na verdade eu penso como um tipo de delírio”, ponderou ela.

Para Weber, olhar a guerra com a distância de uma câmera de drones ou de satélites ou mesmo registros dos próprios militares com intuito de fazer propaganda das ações de conflito realiza uma “pulsão escópica” em torno da relação do espectador com aquelas imagens. Ao se apropriar desse conteúdo, produzido com intenções “positivas” de chamar atenção para o suposto sucesso das missões, a cineasta frisou que passa a problematizá-los. “Torna-se um exercício crítico sobre essas operações”, reforçou.

Assim, ela pensa “Não Haverá mais Noite” como uma peça de ficção, no sentido de ser uma construção de imagens e sons a partir de elementos que falseiam os acontecimentos reais. “Não se trata de uma reconstituição clínica da realidade. A morte é vista à distância, é perturbadora e transmite emoções, mas esse distanciamento é também uma maneira de tornar possível encarar aquela tragédia. “Essas imagens produzem uma encenação dos atos de violência e o visor da câmera e a guerra tornam-se uma coisa só”.

Você pode assistir “Não Haverá mais Noite” gratuitamente até as 23h59 do dia 3/10 clicando aqui.

SOBRE A MOSTRA CINEBH

Com edições anuais e consecutivas, a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, o evento de cinema da capital mineira, chega a sua 15a edição de 28 de setembro a 03 de outubro de 2021, em formato online e gratuita, reafirmando seu propósito de mostrar o cinema para o mundo, promover o diálogo entre as culturas, aproximar povos e continentes, fazer a conexão do cinema brasileiro com o mercado audiovisual, realizar encontros de negócios, investir na formação, intercâmbio e cooperação internacional, construir pontes nas escolas, comunidades, redes sociais e com a cidade de Belo Horizonte e Minas Gerais.

A 15a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte e o 12o Brasil CineMundiintegram o Cinema sem Fronteiras 2021 – programa internacional de audiovisual idealizado pela Universo Produção e que reúne também a Mostra de Cinema de Tiradentes (centrada na produção contemporânea, em janeiro) e a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto (que difunde o audiovisual como patrimônio e ferramenta de educação, em junho).

SERVIÇO

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

ESTE EVENTO É REALIZADO COM RECURSOS DA LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA DE BELO HORIZONTE

PATROCÍNIO: MATER DEI, COPASA, CEMIG | GOVERNO DE MINAS GERAIS

PATROCÍNIO MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO: patrocinada com recursos do Fundo Internacional de Ajuda para Organizações de Cultura e Educação 2021 do Ministério das Relações Exteriores da República Federal da Alemanha, do Goethe-Institut e de outros parceiros: www.goethe.de/hilfsfonds

PARCERIA CULTURAL: SESC EM MINAS, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, CASA DA MOSTRA

PARCEIROS BRASIL CINEMUNDI: EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL, DOT, MISTIKA, PARATI FILMS, CTAV, FORTE FILMES, NAYMOVIE

COOPERAÇÃO BRASIL CINEMUNDI: WORLD CINEMA FUND(Alemanha), NUEVAS MIRADAS – EICTV(Cuba), BIOBIOCINE(Chile), CONECTA – CHILE DOC(Chile),  MAFF(Espanha), DOCSP(Brasil), DOCMONTEVIDEO (Uruguai), VENTANA SUR(Argentina), INSTITUTO OLGA RABINOVICH / PROJETO PARADISO(Brasil)

APOIO: CAFÉ 3 CORAÇÕES.

REALIZAÇÃO: UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA | MINISTÉRIO DO TURISMO| GOVERNO FEDERAL