SESSÃO PRESENCIAL E FILMES PARA TODOS OS PÚBLICOS AGITAM A PROGRAMAÇÃO CINEMATOGRÁFICA DESTE SÁBADO

Para quem pretende curtir o final de semana com cultura e diversão, no conforto e segurança de casa, a dica é conferir a programação cinematográfica da 15a CineBH, neste sábado, dia 2 de outubro. Para tornar a experiência de cinema dos fãs da sétima arte ainda melhor, a equipe curatorial do evento destaca 13 exibições de longas e curtas-metragens, distribuídas em cinco mostras: Contemporânea Brasil, Contemporânea Internacional, Temática, A Cidade em Movimento e Mostrinha. A programação é gratuita e pode ser conferida até o dia 3 de outubro, pelo site www.cinebh.com.br.

Um dos grandes destaques deste sábado é a realização da segunda sessão presencial da ação “Quem movimenta a cidade?” – um recorte da programação proposta pela Mostra A Cidade em Movimento -, que acontece às 15 horas, no Espaço Cultural Filme de Rua (Av. Afonso Pena, 941, loja 08 – Centro). Destinada aos integrantes do Filme de Rua, o encontro marca o pré- lançamento da campanha de reabertura do projeto, que está fechado desde março de 2020 em decorrência da pandemia. Intitulada “A rua vive” a iniciativa visa arrecadar recursos e parcerias para o retorno às atividades presenciais no espaço cultural. A sessão conta ainda com a participação especial do Coletivo Cine Leblon que compartilhará seus filmes e histórias com o cinema.

Para esta exibição foram selecionados dois curtas-metragens: no experimental “Memórias de mim”, o diretor Clebin Quirino, propõe uma relação com a cidade e com os lugares, a partir das memórias e experiências com a rua. Paisagens visuais da cidade de Belo Horizonte, paisagens sonoras criadas a partir de um laboratório, uma cartografia afetiva dos lugares com intervenção manual em frames de vídeo, estão presentes na produção. A ficção “Brooklin”, com direção e roteiro do Coletivo Cine Leblon, traz a história dos moradores do Brooklin que são submetidos a um toque de recolher imposto pela Guarda do Estado Verdadeiro. Através de uma rádio clandestina, criada por um grupo de jovens insurgentes, um espaço de denúncia se abre. À medida que a popularidade das transmissões aumenta, as retaliações por parte do Estado Verdadeiro começam. Uma caçada tem início. A ordem é derrubar os corpos que buscam se levantar.

Após a exibição, os espectadores poderão participar de um bate-papo com os integrantes do Coletivo Cine Leblon. A mediação será da curadora Paula Kimo.

Confira a seguir os destaques da programação cinematográfica da 15a CineBH, selecionados pela curadoria, e curta o cinema na tela de sua preferência.

Longas-metragens

Mostra Temática: Neste sábado, está em evidência o documentário “Auto de resistência”, dos diretores Natasha Neri e Lula Carvalho. Exibido no Festival É Tudo Verdade, o filme aborda homicídios praticados pela polícia contra civis, no Rio de Janeiro, em situações inicialmente de legítima defesa. Retrata ainda o embate das versões, bastidores das investigações e as apurações do alto índice de mortes decorrentes da ação da polícia.

Mostra Contemporânea Brasil: Está em destaque a pré-estreia nacional de “Um dia qualquer”, dirigido por Pedro von Krüger. A obra é um produto híbrido, pensado para a televisão (como minissérie) e para o formato de longa-metragem. Krüger faz uma crônica urbana violenta que tem as milícias – sua lógica política e de intervenção – como centro irradiador de uma trama que se esmera a elaborar uma narrativa que tem muito pouco do efeito do realismo social. “Um Dia Qualquer” denota um tipo de produção brasileira que ao mesmo tempo pretende falar diretamente ao seu tempo e lugar (Brasil, hoje) e cultivar elementos estéticos e de valor de produções internacionais.

Mostra Contemporânea Internacional: Os cinéfilos estão convidados a prestigiar duas produções. A primeira delas é “Na casa do diretor”, do cineasta Marc Isaacs, em pré-estreia nacional. Exibido em festivais como Visions du Réel (2021), Sheffield (2020) e selecionado para o Festival Internacional de Documentários de Amsterdã, a produção foi construída quando o cineasta é informado de que seu próximo filme deve ser sobre crime, sexo ou celebridade para obter financiamento. Ele resolve o problema construindo uma linha tênue entre documentário e ficção.

Dirigido por Federico Veiroj, a ficção “La vida útil – um conto de cinema”, uma coprodução Uruguai/Espanha, traz a história de Jorge, que tem 45 anos e vive com os pais. Nos últimos 25 anos, ele trabalha no mesmo departamento e não tem nenhuma experiência em outro trabalho que não seja com filmes. Um dia Jorge perde o emprego e busca se adaptar ao novo modo de vida.

Curtas-metragens

Mostra Contemporânea Brasil: A dica da curadoria e conferir a a sessão “Visões Adiante” que procura ver um pouco além daquilo que aparentemente está circunstanciado por um presente de penúria. Em “Os pilotos do plano”, dirigido por Bruna Lessa, astronautas e especialistas contam detalhes da missão espacial que levou, em uma viagem sem escalas, 58 milhões de patriotas para o espaço. A ficção “Inabitável”, dos cineastas Matheus Farias & Enock Carvalho, retrata a procura de Mariele por sua filha Roberta, uma mulher trans que está desaparecida. Enquanto corre contra o tempo, ela descobre uma esperança para o futuro. Em “Portugal Pequeno”, do diretor Victor Quintanilha, Jonatan, mais conhecido como MC Xerelete, sonha em ser um cantor de funk famoso e dar para ele e seu pai a vida cômoda que a publicidade lhe vende. Enquanto isso não acontece, os dois trabalham pescando na Baía de Guanabara, encarando as responsabilidades e obstáculos que a realidade lhes impõe.

Mostra A Cidade em Movimento: Neste sábado, está em evidência a sessão “Tem diferença” que chama atenção para filmes que afirmam a urgência em se demarcar e negritar as diferenças que nos constituem enquanto sociedade. O documentário “Um de Vermelho e um de Amarelo”, de Lipe Canêdo, GM & Fr4ad, salienta cenas compostas pelo movimento de zoom da câmera e explora territórios de uma cidade dessemelhante. O experimental “Morde & Assopra”, do diretor, ator e performer Stanley Albano, usa do humor e da ironia para colocar em questão cenas que se passam na “casa grande” ainda nos dias de hoje. A ficção “Ditadura Roxa”, de Matheus Moura, torna visível uma complexa trama em distintas cores, e nos provoca a pensar sobre racismo, desigualdade, desejo, psiquê e dominação colonial. E o filme “A única coisa que entendo como norte é a liberdade”, de Luciana Cezário, adentra o universo da escola e suas singularidades, trazendo o afeto como base e a inspiração do educador Paulo Freire como flecha que irradia, alcança e modifica estruturas. Um conjunto potente de imagens que tomam posição e buscam por meio da própria linguagem intervir e transformar o mundo em que vivemos.

A partir das 19 horas, será realizada, no site oficial do evento www.cinebh.com.br, a Roda de Conversa ao vivo com a presença de todos os diretores dos curtas que compõem a sessão “Tem diferença” e participação especial da educadora mineira Luana Costa. A mediação será da curadora Paula Kimo.

Mostrinha: Para reunir e agradar a toda a família, a equipe curatorial selecionou para este sábado, dois curtas-metragens. “Trincheira”, de Paulo Silver, conta a história de Gabriel que usa de sua imaginação para construir seu mundo fantástico. Já “Torcida única”, dirigido por Catarina Forbes acompanha a família de Laura e a expectativa dela, do pai e dos irmãos para ir ao Morumbi assistir ao jogo entre São Paulo e Fluminense, na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de 2008.

SOBRE A MOSTRA CINEBH

Com edições anuais e consecutivas, a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, o evento de cinema da capital mineira, chega a sua 15a edição de 28 de setembro a 03 de outubro de 2021, em formato online e gratuita, reafirmando seu propósito de mostrar o cinema para o mundo, promover o diálogo entre as culturas, aproximar povos e continentes, fazer a conexão do cinema brasileiro com o mercado audiovisual, realizar encontros de negócios, investir na formação, intercâmbio e cooperação internacional, construir pontes nas escolas, comunidades, redes sociais e com a cidade de Belo Horizonte e Minas Gerais.

A 15a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte e o 12o Brasil CineMundi integram o Cinema sem Fronteiras 2021 – programa internacional de audiovisual idealizado pela Universo Produção e que reúne também a Mostra de Cinema de Tiradentes (centrada na produção contemporânea, em janeiro) e a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto (que difunde o audiovisual como patrimônio e ferramenta de educação, em junho).

SERVIÇO

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

ESTE EVENTO É REALIZADO COM RECURSOS DA LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA DE BELO HORIZONTE

PATROCÍNIO: MATER DEI, COPASA, CEMIG | GOVERNO DE MINAS GERAIS

PATROCÍNIO MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO: patrocinada com recursos do Fundo Internacional de Ajuda para Organizações de Cultura e Educação 2021 do Ministério das Relações Exteriores da República Federal da Alemanha, do Goethe-Institut e de outros parceiros: www.goethe.de/hilfsfonds

PARCERIA CULTURAL: SESC EM MINAS, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, CASA DA MOSTRA

PARCEIROS BRASIL CINEMUNDI: EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL, DOT, MISTIKA, PARATI FILMS, CTAV, FORTE FILMES, NAYMOVIE

COOPERAÇÃO BRASIL CINEMUNDI: WORLD CINEMA FUND(Alemanha), NUEVAS MIRADAS – EICTV(Cuba), BIOBIOCINE(Chile), CONECTA – CHILE DOC(Chile), MAFF(Espanha), DOCSP(Brasil), DOCMONTEVIDEO (Uruguai), VENTANA SUR(Argentina), INSTITUTO OLGA RABINOVICH / PROJETO PARADISO(Brasil)

APOIO: CAFÉ 3 CORAÇÕES.

REALIZAÇÃO: UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA | MINISTÉRIO DO TURISMO| GOVERNO FEDERAL