SESSÃO PRESENCIAL ESPECIAL DA 15A CINEBH COLOCA AS MULHERES NO CENTRO DA CENA

20210930 – 15ª CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte – Brasil Cinemundi – 12th International Coproduction Meeting – SESSÃO PRESENCIAL + BATE-PAPO – CURTAS – MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO – SESSÃO MULHERES EM CENA – Foto: Leo Lara/Universo Produção

Na manhã desta quinta-feira, dia 30 de setembro, a 15a CineBH, no Cine Sesc Palladium, promoveu uma sessão especial, em comemoração aos seus 15 anos de atividades. Participaram da iniciativa 11 mulheres atendidas pelo projeto Trajeto Moda – Um Sonho de Autonomia, que faz parte do Programa Percursos Gerais: Trajetória para Autonomia, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), construído como parte da estratégia para promoção da autonomia de famílias que moram nas 73 cidades com menor IDH do estado.

O encontro, que é um recorte da programação da Mostra A Cidade em Movimento, começou com muita alegria e descontração, embalado por músicas de cinema e sucesso da MPB, interpretadas de forma divertida pelas palhaças Tecla e Brisa, da Minha Companhia. Em seguida, foram exibidos para as convidadas três curtas-metragens: A animação “Vida Maria”, produção cearense dirigida por Márcio Ramos; o documentário performático “Minha Raiz”, da diretora mineira Labibe Araújo, e a ficção “A Batalha das Colheres”, dirigida pela mineira Fabiana Leite.

Após a sessão, foi realizada uma Roda de Conversa, com o tema Mulheres em Cena. O bate-papo contou com a presença de Beatriz Eufrásio Trindade, Assessora da Coordenadoria Estadual de Políticas para as Mulheres; de Gabriela Gervason, chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social de Minas Gerais; e da atriz Rejane Faria. A mediação foi de Paula Kimo – curadora da Mostra A Cidade em Movimento |MG.

Para iniciar o bate-papo, Rejane Faria, uma das protagonistas do filme “A Batalha das Colheres”, comentou estar muito feliz em ver que o filme ainda segue de encontro ao seu objetivo, que é suscitar discussões sobre os direitos das mulheres e a importância da rede de apoio. Por outro lado, ela afirmou que “ainda é muito triste ver que muita coisa não tenha mudado nessa questão da violência contra as mulheres”. A atriz salientou ainda que, quando as mulheres passam a reconhecer sua autonomia, descobrem que podem ser e fazer o que quiserem. “Estamos aqui juntas para o que der e vier. Espero que a partir destes filmes, possamos reconhecer um novo olhar para estas situações e termos coragem para abrir a boca e mudar o que for preciso”.

Rejane recordou que o local das filmagens, o vilarejo de Lapinha da Serra, foi escolhido por ser um lugar com histórico de violência contra as mulheres. “Inclusive, tivemos que trocar uma das locações porque, ao descobrir o teor da cena, que era uma discussão sobre os direitos das mulheres, o marido da dona do bar se recusou a ceder o espaço”. A atriz relembrou ainda que as mulheres da localidade participaram voluntariamente do filme, porque reconheceram na produção uma oportunidade para dar espaço e força para suas falas. “E é essa nossa rede de mulheres, de afeto e de coragem, que vai fazer a diferença e causar a mudança. Fortalecer essa rede de mulheres é essencial, para que elas possam criar seus filhos, orientar seus maridos e companheiros e chamar outros homens para fazer parte da discussão sobre o enfrentamento da violência contra as mulheres”, pontuou.

20210930 – 15ª CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte – Brasil Cinemundi – 12th International Coproduction Meeting – SESSÃO PRESENCIAL + BATE-PAPO – CURTAS – MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO – SESSÃO MULHERES EM CENA – Foto: Leo Lara/Universo Produção

Josiany Vieira de Souza, uma das participantes do projeto Trajeto Moda e representante da Comunidade Quilombola de Ouro Verde de Minas, se disse admirada como os filmes conseguiram “pincelar nossa vivência histórica e nosso contexto. Quando as mulheres assistem curtas como estes, elas se identificam e se encontram nessas histórias. E esses momentos de escuta e de conversa é que fazem toda a diferença para nós”. Josiany evidenciou ainda que é muito angustiante ver notícias sobre feminicídio todos os dias. “mas é necessário ter esperança e se organizar. Esse é o nosso desafio. Receber essas notícias e ainda assim elaborar e entender que passos temos que dar todos os dias, rumo ao nosso objetivo”.

Neste sentido, Gabriela Gervason complementou dizendo que a missão do Trajeto Moda é romper alguns ciclos e iniciar outros. E esse movimento é difícil e por vezes traumático, mesmo que necessário. “A vida é cíclica. Por isso é importante pensar na força do coletivo para romper o ciclo da violência e começar uma nova história”.

Outro depoimento emocionante foi de Evany de Andrade do Nascimento, da cidade de Almenara. “Esses curtas nos mostram tantas formas de violência… O primeiro filme parecia até a história da minha família. Hoje, estando aqui, estou muito feliz e encantada por fazer parte deste projeto. Quando cheguei ao Trajeto Moda, estava recém-separada. Eu sabia que meu casamento era difícil, mas só depois é que me dei conta de quanta violência sofri, principalmente a psicológica. Agora, estou me tornando uma pessoa mais forte, cheia de esperança e de vontade de transformar vidas lá na minha regional”.

Gabriela Gervason evidenciou a importância desse encontro dessas mulheres com o cinema, realizado pela Mostra. “Essa parceria com a CineBH proporciona uma oportunidade para essas mulheres discutirem suas questões em espaço diferente, e de utilizar a cultura como uma ferramenta. Para nós este é um momento muito especial, que une cultura e reflexão para elas repensarem o protagonismo das próprias vidas”. Para Gabriela, a expectativa é que esta iniciativa possa despertar nas participantes um outro olhar para outras formas de reproduzir os conhecimentos que estão adquirindo no projeto Trajeto Moda. “Esperamos que elas levem essa experiência e essas reflexões para outras mulheres, para que elas também tenham a oportunidade de repensarem as suas trajetórias”.

SOBRE A MOSTRA CINEBH

Com edições anuais e consecutivas, a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, o evento de cinema da capital mineira, chega a sua 15a edição de 28 de setembro a 03 de outubro de 2021, em formato online e gratuita, reafirmando seu propósito de mostrar o cinema para o mundo, promover o diálogo entre as culturas, aproximar povos e continentes, fazer a conexão do cinema brasileiro com o mercado audiovisual, realizar encontros de negócios, investir na formação, intercâmbio e cooperação internacional, construir pontes nas escolas, comunidades, redes sociais e com a cidade de Belo Horizonte e Minas Gerais.

A 15a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte e o 12o Brasil CineMundi integram o Cinema sem Fronteiras 2021 – programa internacional de audiovisual idealizado pela Universo Produção e que reúne também a Mostra de Cinema de Tiradentes (centrada na produção contemporânea, em janeiro) e a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto (que difunde o audiovisual como patrimônio e ferramenta de educação, em junho).

SERVIÇO

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

ESTE EVENTO É REALIZADO COM RECURSOS DA LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA DE BELO HORIZONTE

PATROCÍNIO: MATER DEI, COPASA, CEMIG | GOVERNO DE MINAS GERAIS

PATROCÍNIO MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO: patrocinada com recursos do Fundo Internacional de Ajuda para Organizações de Cultura e Educação 2021 do Ministério das Relações Exteriores da República Federal da Alemanha, do Goethe-Institut e de outros parceiros: www.goethe.de/hilfsfonds

PARCERIA CULTURAL: SESC EM MINAS, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, CASA DA MOSTRA

PARCEIROS BRASIL CINEMUNDI: EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL, DOT, MISTIKA, PARATI FILMS, CTAV, FORTE FILMES, NAYMOVIE

COOPERAÇÃO BRASIL CINEMUNDI: WORLD CINEMA FUND(Alemanha), NUEVAS MIRADAS – EICTV(Cuba), BIOBIOCINE(Chile), CONECTA – CHILE DOC(Chile),  MAFF(Espanha), DOCSP(Brasil), DOCMONTEVIDEO (Uruguai), VENTANA SUR(Argentina), INSTITUTO OLGA RABINOVICH / PROJETO PARADISO(Brasil)

APOIO: CAFÉ 3 CORAÇÕES.

REALIZAÇÃO: UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA | MINISTÉRIO DO TURISMO| GOVERNO FEDERAL