CINEASTAS BRASILEIROS SE REÚNEM NO ÚLTIMO DIA DA 14ª CINEBH PARA DEBATER EXPERIÊNCIAS DE CINEMA, MERCADO E COPRODUÇÃO

Encerrando a vasta programação gratuita e online, a 14ª CineBH promove neste feriado, 2 de novembro, seus últimos debates, conferências e rodas de conversa. Dentro da temática central proposta para este ano, “Arte Viva: Redes em expansão” será realizada às 12 horas, a segunda e última parte do encontro reflexivo “As telas em transe na pandemia”. 

Criadores e pensadores discutirão sobre o impacto do audiovisual em seus trabalhos e as perspectivas de quem depende das artes vivas para suas expressões. O que se viu na pandemia? Como se viu? O que une as várias produções artísticas desde o fechamento dos espaços culturais é a concentração no audiovisual. Mas como os criadores se reconfiguraram para novos formatos e novas plataformas?, serão algumas das questões debatidas neste encontro virtual.

Participam da mesa Guilherme Diniz – ator, pesquisador e crítico teatral; Laís Machado – criadora da vídeo-performance “Canção das Filhas das Águas” e Maurício Lima – diretor e dramaturgo do “Museu dos Meninos – Arqueologias do Futuro”, com mediação da crítica e pesquisadora de artes cênicas e curadora da 14a CineBH, Daniela Avila Small.

Fechando a programação de debates pela Mostra Contemporânea, às 17 horas, se reúnem para a roda de conversa “Encontro com realizadores” com o tema “Estética e criação a partir da história e da violência” os cineastas Beatriz Seigner – codiretora de “Entre nós, um segredo”; Cleyton Xavier, um dos diretores de “Rodson, ou onde o sol não tem dó” e Rodrigo Aragão – diretor de “O Cemitério das Almas Perdida”.

A história do Terceiro Mundo é marcada por colonialismo, migrações diversas, violências várias e tentativas constantes de sobrevivência dos povos oprimidos. Ao levar para a tela narrativas delirantes do passado brasileiro, rememoração oral das tradições de matriz africana ou provocações de um estado calamitoso que vivemos no presente, os cineastas refletem, de maneiras originais e singulares, como é fazer arte a partir desses desafios, impostos por circunstâncias maiores e muitas vezes sem controle. A mediação será do crítico de cinema e curador da 14a CineBH, Marcelo Miranda.

***

ATENÇÃO:

Como o formato do evento é digital, convidamos você para seguir a Universo Produção/CineBH/Brasil CineMundi nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que vai acontecer nos bastidores da CineBH e Brasil CineMundi, acompanhar a evolução e notícias dos eventos e receber conteúdos exclusivos. Canais e endereços:

Acompanhe o programa Cinema Sem Fronteiras 2020

Participe da Campanha #EufaçoaMostra

Na Web: www.brasilcinemundi.com.br / www.cinebh.com.br / www.universoproducao.com.br

No Instagram: @universoproducao

No Youtube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: brasilcinemundicinebh / universoproducaoNo LinkedIn: universo-produção

Informações pelo telefone: (31) 3282-2366

***

SERVIÇO

14ª CINEBH – MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA DE BELO HORIZONTE 

BRASIL CINEMUNDI – 11th INTERNATIONAL COPRODUCTION MEETING 

29 de outubro a 2 de novembro de 2020

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

PATROCÍNIO: COPASA, CEMIG | GOVERNO DE MINAS GERAIS

PARCERIA CULTURAL: SESC EM MINAS, GOETHE-INSTITUT, CASA DA MOSTRA

PARCEIROS BRASIL CINEMUNDI: EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL, INSTITUTO FRANCÊS BRASIL PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS DOT, MISTIKA, PARATI FILMS, CTAV E ATELIÊ BUCARESTE

COOPERAÇÃO BRASIL CINEMUNDI: WORLD CINEMA FUND (Alemanha), NUEVAS MIRADAS-EICTV (Cuba), BIOBIOCINE (Chile), CONECTA-CHILE DOC (Chile), MAFF (Espanha), DOCSP (Brasil), DOCMONTEVIDEO (Uruguai), VENTANA SUR (Argentina), INSTITUTO OLGA RABINOVICH/PROJETO PARADISO (Brasil)

APOIO: INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL E CAFÉ 3 CORAÇÕES.

IDEALIZAÇÃO E REALIZAÇÃO:UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA | MINISTÉRIO DO TURISMO | GOVERNO FEDERAL