PRESENÇA DO TEATRO NO AUDIOVISUAL FOI TEMA DE RODA DE CONVERSA NA MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO

Na terceira Roda de Conversa da mostra A Cidade em Movimento, o teatro teve o protagonismo nas discussões em torno dos filmes “Ao Teatro”, de Rita Clemente, e “Cenas Curtas 20 Anos: A Festa dos Encontros”, de Marcos Coletta. Ambos são trabalhos que se valem da forte presença cênica no cenário cultural de Belo Horizonte e refletem respectivamente sobre o impacto da pandemia na produção e a história de um dos eventos mais importantes da cidade. 

A atriz e dramaturga Mariana Viana, convidada a comentar a sessão, inicialmente ponderou a emoção de ver, no curta de Rita, “a invasão do cinema pelo teatro”. Ela falou da circunstância de a pandemia ter criado mais uma situação histórica na qual as artes cênicas precisam resistir e sobreviver diante das adversidades. “Aquele espetáculo (no filme) foi pensado em outro contexto, para um enquadramento, e tudo isso me emocionou muito, é bonito de ver essa empreitada e esse resistir”, disse Marina. Sobre o documentário de Coletta, que resgata a história do Festival de Cenas Curtas, criado em 2000 no Galpão Cine Horto e até hoje realizado anualmente, ela exaltou a memória do teatro como algo a ser resgatado. “Precisamos cuidar da nossa memória, de preservá-la”.

Rita Clemente, cuja experiência nos palcos passa pela atuação e direção, apontou a importância fundamental das artes presenciais. “Mesmo sabendo que a linguagem do filme (‘Ao Teatro’) não está preocupada em ser tecnicamente ligada ao audiovisual, a gente se utiliza de um dispositivo que é a câmera, essa intermediação do olhar do espectador. Mas o que tem ali é muito teatral”, disse. Apesar dessa percepção, a realizadora questiona o que é, afinal, “ser teatral” diante de um momento em que as ferramentas se misturam cada vez na produção e na realização.

Por sua vez, Marcos Coletta, que trabalha no centro de arquivos do Galpão Cine Horto, disse ter se deparado com um material incrível ao desenvolver o roteiro do documentário e gravar entrevistas com diversas pessoas, entre artistas, críticos e pesquisadores que têm suas trajetórias atravessadas pelo Festival de Cenas Curtas. “Esse festival é dos artistas, é da cena cultural de Belo Horizonte, ele é parte da história da dramaturgia na cidade”, afirmou.

***

ATENÇÃO:

Como o formato do evento é digital, convidamos você para seguir a Universo Produção/CineBH/Brasil CineMundi nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que vai acontecer nos bastidores da CineBH e Brasil CineMundi, acompanhar a evolução e notícias dos eventos e receber conteúdos exclusivos. Canais e endereços:

Acompanhe o programa Cinema Sem Fronteiras 2020

Participe da Campanha #EufaçoaMostra

Na Web: www.brasilcinemundi.com.br / www.cinebh.com.br / www.universoproducao.com.br

No Instagram: @universoproducao

No Youtube: Universo Produção

No Twitter: @universoprod

No Facebook: brasilcinemundicinebh / universoproducaoNo LinkedIn: universo-produção

Informações pelo telefone: (31) 3282-2366

***

SERVIÇO

14ª CINEBH – MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA DE BELO HORIZONTE 

BRASIL CINEMUNDI – 11th INTERNATIONAL COPRODUCTION MEETING 

29 de outubro a 2 de novembro de 2020

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA

PATROCÍNIO: COPASA, CEMIG | GOVERNO DE MINAS GERAIS

PARCERIA CULTURAL: SESC EM MINAS, GOETHE-INSTITUT, CASA DA MOSTRA

PARCEIROS BRASIL CINEMUNDI: EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL, INSTITUTO FRANCÊS BRASIL PARA O ESTADO DE MINAS GERAIS DOT, MISTIKA, PARATI FILMS, CTAV E ATELIÊ BUCARESTE

COOPERAÇÃO BRASIL CINEMUNDI: WORLD CINEMA FUND (Alemanha), NUEVAS MIRADAS-EICTV (Cuba), BIOBIOCINE (Chile), CONECTA-CHILE DOC (Chile), MAFF (Espanha), DOCSP (Brasil), DOCMONTEVIDEO (Uruguai), VENTANA SUR (Argentina), INSTITUTO OLGA RABINOVICH/PROJETO PARADISO (Brasil)

APOIO: INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL E CAFÉ 3 CORAÇÕES.

IDEALIZAÇÃO E REALIZAÇÃO:UNIVERSO PRODUÇÃO

SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA | MINISTÉRIO DO TURISMO | GOVERNO FEDERAL