SESSÃO 1 – PANDEMIA CRIATIVA

A sessão reúne um conjunto de filmes produzidos durante a pandemia da COVID-19 na cidade de Belo Horizonte e nos convida a pensar sobre os limites e as possibilidades de criação audiovisual no contexto de isolamento social. Para além da produção audiovisual no ambiente doméstico, as imagens também nos mostram as resistências que transitam e ocupam a cidade apesar do vírus.

RODA DE CONVERSA: 30 de outubro, quinta-feira, às 19h

Convidado especial: João Paulo Campos | crítico e pesquisador de cinema

SESSÃO 2: CORPOS DISSIDENTES

Os filmes dessa sessão se conectam pela presença de corpos que renunciam aos padrões hetero e cisnormativos, convidando à uma conversa sobre diversidade sexual, liberdade  e amor. Encontros, olhares e ritos de passagem traduzem gestos políticos de uma comunidade que se coloca e se impõe na dinâmica social e também nas telas do cinema.

RODA DE CONVERSA: 31 de outubro, às 19h

Convidada especial: Juhlia Santos | jornalista, performer e produtora

SESSÃO 3: O TEATRO EM CENA

O corpo na cena teatral e sua relação com o audiovisual, o teatro e as histórias que ele pode inventar e contar. A sessão reúne filmes que nos convidam à uma conversa sobre o teatro belorizontino: de um lado, a sua relação com o audiovisual no período da pandemia, do outro,  a memória de um importante festival de teatro realizado na capital mineira.

RODA DE CONVERSA: 01 de novembro, às 19h

Convidada especial: Marina Viana | atriz e dramaturga

SESSÃO 4: A PAZ É BRANCA OU A RESISTÊNCIA TEM COR

Reunindo filmes dão a ver ritos, afetos e gestos de resistência e expressão da negritude, a sessão nos convida a pensar sobre as poéticas produzidas no âmbito do cinema negro belorizontino. Ademais, celebra e reverbera a luta do Quilombo Souza,  situado  no  Bairro Santa Tereza.

RODA DE CONVERSA: 02 de novembro, às 19h

Convidada especial: Maya Quilolo | Antropóloga, mestre em Comunicação e realizadora audiovisual